Arquitetura no tempo da máquina*

Da Arquitetura de Autor à Arquitetura instantânea

Há muito que nos questionamos sobre a natureza do tempo na arquitetura. Tempo e temporalidade referem-se somente ao homem e por consequência, ao habitar e à arquitetura como existência. Sendo que habitar e construir são indissociáveis.

Explorando o sentido do tempo e de que maneira este pode afetar o campo da Arquitetura, automaticamente o associamos às noções de Património Histórico. Mas a questão é mais transversal. O tempo é causa, problemática, memória e utopia. Por consequência o espaço é efeito, representação e realidade.

O tempo na Arquitetura é algo fundamental, não só como dimensão da observação mas também como dimensão da obra em si. Desta forma estamos perante uma realidade onde tudo é tempo e o tempo está em tudo. Continue reading “Arquitetura no tempo da máquina*”

A Tecnologia nas Cidades do Futuro *

A fronteira entre o digital e o físico

Uma das características mais significativas e importantes da arquitetura avantgarde dos últimos 20 anos é a proliferação de processos mídia e técnicas de representação.

O desejo pelas novas ferramentas de desenho digital que foram importadas da indústria de animação para a arquitetura originaram uma tendência para a complexidade e fluidez. A analogia entre edifício e organismo é tão antiga quanto a disciplina autoconsciente da própria arquitetura.

O impacto dos novos softwares de animação e modelação 3D continua a aumentar, levando ao desenvolvimento de uma nova linguagem na arquitetura.

As tecnologias digitais – computadores e máquinas controladas por computador – têm mostrado taxas sustentadas e aceleradas de evolução social e económica. As tecnologias digitais vão indiscutivelmente ser um dos fatores essenciais da inovação da arquitetura e, consequentemente, do ambiente construído no século XXI. Continue reading “A Tecnologia nas Cidades do Futuro *”