O conceito de ausência na Arquitetura*

Archigram e a invisibilidade tecnológica

 

A ausência é já um conceito existente e discutido na arquitetura. Como arquitetos, procuramos constantemente uma possível conexão entre as ideias arquitetónicas de diferentes épocas e contextos. Tendo como ponto de partida o conceito de “Presença-Ausência” na arquitetura, levantam-se algumas questões tendo em conta esta contradição:

O que significa “Presença-Ausência”?

Ausência marca presença, bem como presença marca ausência. Percebemos a presença pela sua existência na ausência, e concebemos a ausência pela não existência da presença. Portanto, presença e ausência complementam-se.

O que significa “Presença-Ausência” na arquitetura?

Presença e ausência marcam a arquitetura. A presença forma ausência, e ausência informa-nos da presença. A forma contém espaço, ao mesmo tempo que mantém a sua existência no espaço. Em arquitetura, extraímos o que está presente (sólido e forma), e utilizamos o que está ausente (vazio e espaço). Juntos, formam uma unidade, uma realidade inseparável.

O que significa arquitetura para “Presença-Ausência”?

“Presença-Ausência” é o modo de representar a arquitetura. Além disso, ao longo da história a arquitetura é uma representação da presença do homem neste mundo ausente. Será a arquitetura atual uma arquitetura de ausência, que deixa de representar a continuidade histórica? E existe uma “Arquitetura do Presente”, que marca a posição atual no continuum histórico? Caso houvesse, deveríamos, e como poderíamos, reapresentar o que está ausente na arquitetura atual, e simultaneamente representar a “Arquitetura do Presente”? Continue reading “O conceito de ausência na Arquitetura*”